Ressuscitou dos Arquivos: Olhar Detalhado

Desde os primeiros passos do World of Tanks no início do alpha em 2009, 11 nações se juntaram às fileiras, e cada uma podia contar pelo menos dois tanques que encontraram glória no combate da vida real. Então, com a Polônia sendo o próximo passo na luta com a Árvore Tecnológica do país em grande escala, nós começamos a pesquisar seus veículos nacionais. No entanto, nos deparamos com problemas. Não existia nenhuma estrela do show—Alemanha tem o Tiger, Grã-Bretranha o Conqueror, O EUA é famoso pelo Pershing, mas a Polônia não possuia nenhum tanque icônico.

Esse obstáculo específico pedia uma mudança de rumo. Assim, em vez de reproduzir cópias de tanques soviéticos, o que não traria versatilidade à jogabilidade atual, mergulhamos nos arquivos com uma missão: encontrar os mais excitantes experimentos de engenharia e trazê-los à vida. Queríamos definir e moldar um autêntico grupo de máquinas que definissem a essência do design do tanque polonês, com suas próprias características, pontos fortes e defeitos.

Você pode notar que os números que fornecemos abaixo não têm um valor final. Por exemplo, o alfa de um canhão pode ter de 300 a 320 pontos. Isso porque estamos nos aproximando do primeiro estágio de testes, onde todas as especificações serão analisadas repetidamente. Listamos esses valores brutos, para que você possa ter uma impressão geral sobre o que distingue os tanques poloneses de outras máquinas em batalha.

Níveis Baixos

As primeiras máquinas da Polônia emprestavam muito de veículos construídos pelos principais países produtores de tanques dos anos 30 e 40, então, à primeira vista, seus traços são bem parecidos com os de outros países—veículos rápidos e dinâmicos com blindagens finas. No entanto, assim como todas as nações têm suas próprias características distintas em níveis baixos, os poloneses podem ter um alfa ligeiramente maior em comparação com a competição de mesmo nível.

Começamos com o 4TP, uma máquina baseada no famoso Vickers Carden Loyd. Pesando pouco mais de 4 toneladas e equipado com um motor de 95 hp, este pequeno “trator” é um verdadeiro velocista capaz de atingir 55 km/h (34 mph).

A influência britânica é traçada com o tanque leve Nível II 7TP, uma evolução do projeto estabelecido no Vickers Mk. E. Ao contrário de seu “irmãozinho”, o 7TP chegou às linhas de produção, com pouco menos de 150 tanques saindo da fábrica.

Os níveis III e IV são ocupados por dois modelos similares. Um protótipo de tanque cruzador, o 10TP é notável por utilizar a famosa suspensão Christie, mas assim como seu irmão, o 14TP, o desenvolvimento do tanque cessou logo após o início da Segunda Guerra Mundial.

Níveis Médios

Marcando uma transição para níveis superiores, os níveis médios são especialmente diversos do ponto de vista da jogabilidade, introduzindo um conjunto completo de papéis e comportamentos de combate. Você começará com um híbrido leve/médio, indo para um tanque médio que realmente quer agir como um garoto grande e, finalmente, evoluindo para um tanque pesado puro.

O Nível V é ocupado pelo KSUST I, um de tanque conceito desenvolvido dentro de um processo de licitação lançado em 1937. Um dos modelos mais exigidos, o “20/25TP” foi aguardado pela comunidade polonesa, por isso estamos felizes em apresentar como parte da próxima linha. Em termos de especificações, o modelo evolui a tendência iniciada pelos níveis baixos, com um canhão de 75mm com 140HP alfa. Um número impressionante, comparado a uma média de 115 pontos de vida vistos em tanques médios de nível V.

À medida que marchamos em direção aos Níveis VI e VII, duas encarnações de um conceito de Edward Habich ganham vida. Um engenheiro polonês talentoso, ele misturou as ideias mais bem-sucedidas do design contemporâneo alemão e soviético. A influência “oriental” resultou em placas de blindagem inclinadas, enquanto a abordagem “ocidental” trouxe torres compactas e alto poder de fogo. Este último se tornará o recurso de assinatura de ambos os modelos. Você pode esperar que o alfa do Nível VI esteja em torno de 220 a 240 pontos.

Como havia apenas um conceito de tanque desenvolvido pela Habich, não tínhamos uma solução pronta para o que colocar no Nível VII. Então, demos um passo adiante e modelamos o possível desenvolvimento das ideias do engenheiro. Historicamente, os tanques poloneses tinham tendência a ganhar peso e tamanho, inclinando-se para máquinas pesadas. Por essa razão, o Nível VII dá as boas-vindas a uma versão mais pesada e poderosa do tanque, retratando nossa visão do que “Habich’s Tank Mk. II” poderia ter se tornado. Com seu status de tanque pesado, a máquina terá um canhão de 105 mm com entre 300 e 320 pontos de alfa, mas sua blindagem mais fraca significa que você terá que jogar com cautela na batalha.

Níveis Altos

Como mencionamos no artigo anterior, a frota de tanques poloneses do pós-guerra incluía apenas veículos soviéticos ou suas versões modificadas. Mas não tínhamos a intenção de apenas refazer modelos antigos. Em vez disso, nosso objetivo era criar um conjunto não convencional de máquinas de primeira linha. Depois de uma rápida escavação nos arquivos, descobrimos três projetos de tese de engenheiros graduados da época—obras que poderiam ter sido produzidas, dando uma aparência diferente aos veículos poloneses.

Enquanto as anotações que encontramos não tinham nenhum título para seus conceitos, nós criamos um pouco de criatividade e nomeamos os tanques em homenagem aos seus autores.

Sentado no Nível VIII, o Czołg Markowskiego é um veículo relativamente pesado, mas volumoso, com a medíocre velocidade máxima de 25 km/h. Nós estaremos testando uma ampla gama de modificações de canhões para este modelo, começando com os tradicionais canos de 105mm e 122mm e terminando com um canhão PE de 120mm nunca antes visto. Em relação à blindagem, o tanque provavelmente receberá uma torre robusta montada em um casco mais fraco, que eventualmente definirá seu estilo de jogo.

O Nível IX contará com o Czołg Tyszkiewicza, o portador orgulhoso de um anhão de 130 mm com alfa de 490 a 550 HP. Seu impressionante poder destrutivo, ótima blindagem geral e baixa velocidade se tornarão as principais características do tanque.

Coroando a Árvore Tecnológica estará o Czołg Lewandoskiego, a personificação máxima do conceito proposto nos níveis superiores poloneses. Em termos de tamanho e até de aparência, é comparável às suas contrapartes soviéticas. Duas opções de canhões estão atualmente na briga, incluindo calibres de 130mm e 152mm, sendo este último o favorito. Seu poder de fogo permitirá que você corte 750 HP de seu inimigo, mas seus valores de penetração atingirão 250 mm. Em termos de jogabilidade, ficará em algum lugar entre o IS-4 e o E-100. Assim como esses dois, o tanque terá baixa mobilidade, enquanto empresta durabilidade e poder de fogo do alemão, juntamente com a forma e o tamanho do soviético. O que você terá como resultado é um provocador de dano de baixa velocidade fortemente blindado destinado a esmagar rigorosamente as defesas inimigas. Mas o que realmente fará essa máquina se destacar é a depressão do canhão que atingirá até -8 graus, causando um impacto decente na diversidade de jogabilidade do tanque.

Conforme o teste avança, as alterações baseadas no feedback podem afetar as especificações, os traços e até mesmo os nomes dos tanques. A única coisa que permanecerá inalterada é a sua principal missão no campo de batalha, começando pelos níveis intermediários: conta com impressionante poder de fogo, junto com recarregamento relativamente rápido, enquanto tenta esconder falhas na blindagem ou na mobilidade. Como sempre, fique atento para mais atualizações.

Fechar