Entrevista Com Uma Tanqueira

Comandantes!

Dia 08 de Março é o Dia Internacional da Mulher, com os Estados Unidos, Reino Unido e Austrália declarando o mês inteiro para o Mês da História Feminina. Esta é uma ótima oportunidade para honrar e reconhecer as contribuições passadas, presentes e futuras das mulheres.

Apresentamos a você Ashley Moynes, uma piloto de tanque e voluntária no Museu do Regimento de Ontário, que foi muito gentil em responder algumas perguntas sobre seu envolvimento e comprometimento aos veículos blindados. Vamos conhecê-la!

Como você entrou para o time do museu de Ontário e se tornou uma piloto de tanque?

Eu me voluntariei para o Museu do Regimento de Ontário há oito anos atrás. Durante a semana eu trabalho na indústria de investimentos, e nos fins de semana livres eu faço trabalhos voluntários para o museu.

Não foi algo planejado trabalhar no museu - meu marido é muito interessado em tanques e história militar, e é um jogador ávido de World of Tanks, então eu comecei a pesquisar por um lugar no Canadá para vermos alguns tanques de verdade. Eu descobri o Museu do Regimento de Ontário em Oshawa, Ontário e fomos para o último evento da temporada do Tank Saturday. Meu marido ficou super feliz, e eu sugeri que ele aplicasse para uma vaga de emprego ali. Logo descobrimos que os funcionários do museu são todos voluntários! Na próxima temporada ele se inscreveu para ser um voluntário e eu fui junto para dar apoio moral. Antes do dia terminar eu também me inscrevi.

No primeiro ano, eu trabalhei dentro do museu - aprendi sobre os artefatos e a história do regimento fazendo tours guiados. Eu só entrei em um veículo depois disso, ajudando com o projeto de restauração em um dos Shermans. O primeiro veículo que aprendi a pilotar foi um M113.

Um dos membros fundadores do museu nos introduziu o M60 Patton. Após ensinar sobre o veículo e sua história, ele me ensinou a pilotar, e então ele entregou as rédeas.

Inicialmente eu não fui ao museu com a intenção de trabalhar como voluntária, mas eu não poderia estar mais feliz sendo um membro desta família!

Quanto tempo demora para aprender a pilotar o tanque?

Aprender a pilotar o tanque e a usar os controles não demora muito tempo; é aprender como o tanque é dirigido, como ele se move e qual é a sensação que demora. O peso e os efeitos da velocidade do veículo e como ele se move e faz curvas. Aprendendo as nuances da máquina, saber quais os sons ele deve emitir, e saber quando algo está errado, é uma das partes mais importantes de se pilotar um tanque. Cada veículo é único. Eu me sinto muito confortável e confiante com o M60: Eu já piloto ele há vários anos, mas sempre aprendo coisas novas.

Qual foi sua primeira impressão quando pilotou um tanque?

Na primeira vez que eu entrei em um tanque foi apenas como passageira. Eu já estava trabalhando como voluntária no museu na época, mas eu fazia apenas os tours pelos artefatos e exibições do museu e não fazia parte da seção de veículos ainda. A carona no tanque foi uma pausa divertida no dia e foi muito incrível! Até que você entre em um tanque, você nunca sente de verdade o poder e força da máquina. Eles são grandes e pesados, mas estar dentro de um enquanto se move é totalmente outro nível - é uma viagem desconfortável se você ficar de pé em cima do assento com seu corpo pra fora da escotilha de cima, e eu me senti muito foda.

Qual é o seu tanque favorito da coleção do museu?

Eu posso ter sido um pouco influenciada porque eu sou a piloto da tripulação, mas tenho que dizer que seria o M60 Patton. Eu já passei tanto tempo com o veículo e já que eu piloto ele por tanto tempo eu sinto como se o conhecesse muito bem. Eu não vou pilotá-lo durante o inverno, mas quando eu voltar depois de alguns meses vou me sentir em casa. O M60 é especial para mim porque quando me tornei o piloto principal eu senti como se eu tivesse "sucedido"" no museu, e sendo a única piloto eu me senti muito grata por ser aceita entre os membros que pilotam há tantos anos e décadas a mais do que eu.

Se você pudesse pilotar qualquer tanque qual seria e por quê?

Tenho muita vontade de pilotar o Sheridan! Eu acho que seria uma mudança muito interessante do M60 - um tanque um pouco mais leve e rápido. Ele também possui um dos tipos de camuflagens da coleção de tanques do museu, o que me faz gostar dele ainda mais.

Qual é a coisa mais fascinante sobre tanques para você?

Cada tanque possui uma personalidade diferente. Mesmo entre tanques do mesmo modelo, cada veículo pode ser pilotado e se comportar de forma diferente. O Museu do Regimento de Ontário possui uma grande coleção de veículos militares funcionais no Canadá. Muitos destes veículos são mais atuais, mas muitos deles tem mais de meio século de existência. Alguns dos veículos mais antigos não estão nas suas melhores condições, e por isso precisam de muito cuidado e precisão para serem operados. Eu acho fascinante como cada veículo se move e reage da sua própria maneira.

Você joga World of Tanks? Se sim, qual é o seu tanque favorito?

Eu comecei a jogar World of Tanks pouco tempo depois de ter sido lançado. Eu não era ótima, mas insisti até alcançar um tanque de Nível VI. Eu nunca fui muito uma gamer, e por isso não joguei por muito tempo e no decorrer dos anos jogava uma vez ou outra. Em 2019, eu fui com outros membros do Museu do Regimento de Ontário no evento D-Day em Conneaut, Ohio. Encontramos alguns funcionários do WOT que já conhecíamos. Havia vários computadores dispostos para o público jogar e eu loguei em um pela primeira vez em muito tempo e me diverti muito sabendo que eu estava rodeada por vários outros fãs de tanques! Desde então eu voltei a jogar WoT com mais frequência e gosto muito de jogar com o T34.

Como você se sente sendo um piloto de tanque? As pessoas se surpreendem pela sua escolha de hobby?

Eu amo pilotar tanques - não existe nada igual! Eu acho que cada pessoa que contei sobre isso se surpreendeu que eu piloto tanques no meu tempo livre, principalmente considerando que eu trabalho em um escritório. Eu sou uma pessoa reservada e acredito que é inesperado que eu goste de ficar perto de veículos barulhentos, pesados e sujos. No museu eu também gosto muito de receber visitas de mulheres que são fãs de tanques e espero que quando elas vejam outra mulher dirigindo um tanque, que elas percebam que podemos ter hobbies inesperados e não tradicionais.

Você conhece outras mulheres que são voluntárias no museu? Se sim, quais são suas funções/deveres?

Existem outras voluntárias no museu, e os números continuam crescendo! Algumas passam o tempo na seção de artefatos e exibições do museu e ajudam com as apresentações nestas seções. Temos outras voluntárias que focam na seção de veículos, trabalhando em times para executar a manutenção e restauração de projetos. Mais mulheres também estão aprendendo a pilotar os veículos! O museu também possui um bom relacionamento com os nossos vizinhos, a RCAF 420 Wing (Associação da Força Aérea Real Canadense), e muitas mulheres deles nos ajudam no que podem.

Pode dar algum conselho para as mulheres interessadas em tanques?

Eu encorajo as mulheres a serem confiantes nelas mesmas e em seus interesses. Não hesite em participar de algo que é uma área considerada apenas para o público masculino. Se você possui a paixão e força de vontade, siga em frente! Para mim, ser uma voluntária no museu de tanques foi uma das experiências mais recompensantes, e eu sempre fui apoiada e bem recebida por esta comunidade.

Se você possui um museu ou uma organização de tanques local, seja uma voluntária. Se você não gosta de estar dentro ou perto de veículos, há muito o que aprender sobre tanques - mantendo a história viva é uma das partes mais importantes.

Se você não possui acesso a algo local, considere planejar uma visita ao Museu do Regimento de Ontário! Você irá amar o nosso evento anual de tanques Aquino, e eu irei adorar conhecer você e conversar sobre tanques!

Fechar